Data: 06/05/2021 Tempo: 09min de leitura Categoria: Ponto de Vista Visualizações: 220 visualizações
Por: Luis Fernando Albalustro

Herança Cultural

Santa Catarina é um estado agraciado pelas belezas naturais e ninguém pode contestar isso. Outro fator incontestável é a diversidade cultural catarinense, garantida pelas etnias que colonizaram o estado. A diversidade étnica das populações de descendências portuguesas, africanas, açorianas, alemãs, italianas, polonesas, ucranianas, austríacas, japonesas e tantas outras, garantiram a variedade e continuidade dos saberes e fazeres que somaram e se amalgamaram à cultura indígena. Além disso, adicionada com as caraterísticas territorial do estado catarinense, dividido em pequenas propriedades mini fundiárias, a diversidade cultural se manteve preservada em pequenos núcleos populacionais, quase imaculada em relação outros estados mais populosos. A ausência de grandes cidades até o pós-guerra trouxe a modernidade tardiamente para Santa Catarina. Ao mesmo tempo que este modelo garantiu a preservação cultural, ativou e acelerou a industrialização, transformando os saberes e fazeres em oportunidades de negócios.

No Século XX Santa Catarina vivenciou o fenômeno de litoralização, concentrando a população do estado na faixa litorânea. Este processo foi extremamente prejudicial tanto para a economia agropecuária quanto para a industrial.  A evasão dos jovens dos pequenos e médios municípios catarinenses preteridos pelas cidades maiores, foi sentida de forma árdua em todos os sentidos. Talvez este seja um dos principais motivos que interferiram na continuidade benéfica das manifestações culturais. Com as ausências dos mais jovens nas pequenas cidades, gradualmente as heranças culturais foram se perdendo pelos novos rumos. Assim, muito do que antes era orgulho enquanto manifestação cultural, passou a ser só mais uma lembrança esquecida e não celebrada. Desta forma, a cultura legada dos colonizadores foi perdendo espaço pela globalização. E como fazer para recuperar este legado?

Hoje, em pleno século 21, durante a maior pandemia dos últimos cem anos, que deixa sérios danos à economia afetando diretamente os cidadãos em suas oportunidades de emprego e renda, novamente a identidade e diversidade cultural de Santa Catarina entra em pauta como o diferencial que pode auxiliar municípios em seus desenvolvimentos econômicos.

O segmento Turismo Cultural

A cultura sempre foi um assunto propulsor para a atividade turística, desde o seu início até os dias atuais.  Esta propulsão faz com que o turismo seja uma das atividades econômicas mais democráticas em termo de acesso, pois considerando que todas as populações possuem identidades culturais, independentemente de suas classificações ou resultados estéticos, estas são passiveis de se tornarem foco na atratividade do turismo.

Nos anos 70, quando a Unesco propôs e criou a Convenção para a Proteção do Patrimônio Mundial, Cultural e Natural, a promoção do turismo cultural iniciou o seu ápice no mundo. A partir de então, os destinos turísticos perceberam a grande oportunidade de oferecer seus patrimônios culturais como produtos e serviços turísticos. A atividade do turismo cultural aos poucos foi sendo concebida como uma causa para os processos de preservação, conservação, restauração e manutenção de patrimônios culturais, tanto materiais quanto imateriais.

Contribuição do Turismo para à Cultura 

A relação de transversalidade entre turismo e cultura é um tema clássico, o qual, por parte do turismo, sempre deve operar no sentido de fortalecer as manifestações culturais.  Vale sempre lembrar que o processo válido e necessário é “culturalizar o turismo e não turistificar a cultura”. A atividade turística deve sempre considerar a dimensionalidade da cultura, observando o seu valor simbólico, econômico e importância cidadã, para que não ofereça riscos e não comprometa a autenticidade e a espontaneidade da cultura local.

Atualmente, percebe-se a importância do turismo para as manifestações culturais. Em muitos destinos há excelentes exemplos em que a atividade turística estimulou o renascimento ou promoveu o resgate e manutenção de aspectos e manifestações culturais que estavam no esquecimento ou praticamente extintas. Por muitas vezes também é a atividade e o olhar turístico responsável por contribuir para que a comunidade passe a valorizar traços e manifestações culturais importantes para a identidade local, que antes eram desconsideradas pelos próprios cidadãos.

Entre os impactos culturais desfavoráveis, destaca-se principalmente as descaracterizações culturais, entre as quais a cultura popular, especificamente o artesanato, é a área que mais corre risco de comprometimento e desqualificação de autenticidade cultural. Por vezes, a atividade turística pode promover a importação de artefatos manuais para dar conta da demanda por souvenires e objetos representativos, impedindo e desacreditando a produção local. Por isso, o monitoramento frente a aculturação deve ser constante e a utilização de critérios em prol da cultura local devem ser impostos como posicionamento estratégico do destino.

Os impactos e benefícios do turismo para cultura são maiores que o risco que a atividade turística pode causar às manifestações culturais. Os benefícios são ainda mais ampliados quando consideramos o campo de oportunidades de geração de emprego e renda para artistas, profissionais criativos, mestres dos saberes e fazeres e principalmente artesãos que direcionam parte do seu trabalho como produção associada ao turismo.


Tipos de Turismo Cultural

Incluso ao conceito de turismo cultural existem algumas subdivisões, as quais apresentamos as principais delas: 

Turismo Gastronômico:
A gastronomia por si só sempre é uma atração à parte. Ainda mais quando a gastronomia vem contextualizada por heranças culturaise referências do destino, fazendo das experiências gastronômicas mais completa no sentido sensorial.   Santa Catarina é sem dúvida um dos estados com maior produção alimentícia do Brasil, tanto industrial quanto artesanal, portanto não faltam opções de vias gastronomias, restaurantes coloniais, brew pubs, rotas cervejeiras, vinícolas, cachaçarias, queijarias, charcutarias, chocolatarias e festas gastronômicas para atrair os amantes da boa comida e bebida.

Turismo Arqueológico:
Turismo de visitação e experiência emsítios históricos, arqueológicos e paleontológicos, ruínas e edificações de contexto histórico, como por exemplo, as oficinas líticas dos povos ancestrais na Ilha de Santa Catarina.

Turismo Museal
Turismo com foco nos museus e espaços expositivos. Santa Catarina é um dos estados com a maior concentração de museus por habitante. Conta também com uma imensa variedade de tipos e estilos de museus. São mais de 200 museus de interesse turístico.

Turismo Religioso
Atividades turísticas que oferecem os caminhos para o alcance espiritual e religioso, por meio de peregrinações, retiros, celebrações e visitas a edificações religiosas. Em Santa Catarina um dos melhores exemplos é o destino Nova Trento.

Turismo Arquitetônico:
Visitação e contemplação com foco na arquitetura de valor histórico e artístico, de estilos arquitetônicos internacionais e vernaculares, como por exemplo, a visitação a igreja neogótica de Xaxim e a Rota Enxaimel de Pomerode para apreciar as casas no estilo enxaimel, herança dos colonizadores alemães. 

Turismo Funerário:
Visitação em cemitérios que possuem um conjunto de arte funeral (túmulos, capelas e esculturas) de valor histórico e artístico, como por exemplo, o Cemitério do Imigrante de Joinville e o Cemitério da Igreja Matriz de Treze Tílias.

Turismo Ufológico:
Visita a lugares onde há registro de avistamentos de objetos voadores não identificados ou regiões que sofreram alguma transformação não identificada.  Como exemplo, os municípios do oeste catarinense, Ipuaçú e Entre Rios, conhecidos pelos registros de agroglífos em seus trigais e milharais.

Turismo Espectral
Visitação turística em lugares onde há registro de atividades sobrenaturais ou lugares de interesse de manifestações paranormais. 

Turismo Místico
Também chamado de turismo esotérico, é um subsegmento ascendente no mundo todo. Modalidade em que o turista é atraído pela busca e conhecimentos de energias e vibrações que auxiliem o autoconhecimento ou a valorização de lendas e tradições de povos ancestrais.

Turismo Ferroviário
As ferrovias, trens e estações ferroviárias atualmente chamam a atenção de todos pela nostalgia e empatia que o modal ferroviário exerce na geração que não vivenciou a era das locomotivas. Santa Catarina possuem vários roteiros ferroviários interessantes de serem vivenciados.

Turismo Étnico:
O conceito de turismo étnico trata do interesse pelo conhecimento, interação e imersão na cultura povos de outras etnias. Em Santa Catarina o turismo étnico é uma importante ferramenta para a garantia do sustento econômico de algumas comunidades indígenas, quilombolas e ribeirinhas, pois a valorização do seu patrimônio histórico, cultural e natural pelas atividades do turismo amplia a visibilidade destas populações.

Turismo Cinematográfico
Turismo em cenários naturais e locações de sets de filmagens. O melhor exemplo em Santa Catarina é a Serra do Rio do Rastro, que frequentemente é utilizada como cenário de publicidades e filmes.

Turismo Cênico Cultural
Especifico de contemplação e visitação em cenários culturais, como por exemplo as orlas das bases comunitárias pesqueiras do Complexo Lagunar de Laguna, com os seus emblemáticos sarilhos – sistema mecânico de madeira para elevação dos barcos e botes se manterem afastados das águas, sem similaridade com nenhum outro sistema do gênero.

O perfil do Turista Cultural

O turista cultural tem uma característica comum – uma imensa vontade e necessidade de conhecer lugares e culturas diferentes da sua. Mas cabe destacar outras características que ajudam a traçar o perfil dos apreciadores culturais:

  • Nível de formação alto – geralmente com nível superior completo;
  • A faixa etária não é fixa – varia dos mais jovens aos de melhor idade;
  • Apreciadores de boas narrativas;
  • Interesse pela gastronomia local;
  • Admiradores das artes em geral;
  • Consumidores conscientes que valorizam atitudes sustentáveis;
  • Predileção pelas experiências;
  • Atentos aos esmeros e pequenos detalhes;
  • Primam pela qualidade dos produtos e serviços ofertados;
  • Senso estético apurado; e
  • Viajantes frequentes.

O posicionamento dos destinos turísticos com foco no turismo cultural é uma oportunidade para ser elencada nos planejamentos estratégicos municipais de turismo. O Ministério do Turismo já deixou transparecer que o turismo cultural está entre os segmentos prioritários que estão sendo trabalhados. A resposta é o Seminário Nacional de Turismo e Cultura da Fundação Casa de Rui Barbosa que terá a sua 4ª edição em 2022, cujo foco é apresentar dados e indicadores do setor e promover a reflexão e debate para estratégias de desenvolvimento econômico e cultural como alternativa para a preservação patrimonial.

Antes de implementar big data, redes sociais e sites de ponta como ferramentas decisivas para o desenvolvimento do turismo, as inovações no segmento devem partir de ações que tenham soluções com o propósito de priorizar a valorização dos patrimônios materiais e imateriais dos destinos. É a priorização que dará a garantia de manutenção e continuidade aos setores culturais expoentes do destino.

Portanto a afirmativa que as manifestações culturais são a chave para sair do lugar comum está valendo mais do que nunca.  Ainda mais quando somada com a criatividade e a inovação, pois formam a receita ideal para o posicionamento turístico fundamentado no segmento turismo cultural.

Também pode
te interessar:

Lançamento do Prêmio Troféu o Melhor do Turismo do Vale Europeu
Data: 17/06/2021 Tempo: 02min Categoria: Regiões Turísticas

Lançamento do Prêmio Troféu o Melhor do Turismo do Vale Europeu

Empresas e intuições do trade do Vale Europeu anunciam a criação do Prêmio Troféu O Melhor do Turismo do Vale

Trade articula criação da 14ª região turística no Meio Oeste de Santa Catarina
Data: 15/06/2021 Tempo: 02min Categoria: Institucional

Trade articula criação da 14ª região turística no Meio Oeste de Santa Catarina

A criação de uma nova Instância de Governança Regional de Turismo (IGR) poderá potencializar o turismo regional das

CNC lança o projeto Vai Turismo para escrever uma nova história do turismo
Data: 11/06/2021 Tempo: 05min Categoria: Institucional

CNC lança o projeto Vai Turismo para escrever uma nova história do turismo

Valorizar, apoiar e impulsionar os destinos e produtos turísticos brasileiros, por meio de uma grande articulação, nos